Polícia Prende Homem Acusado De Ofertar Cursos Falsos

30 Mar 2019 07:55
Tags

Back to list of posts

<h1>Mestrado Em Ci&ecirc;ncias Da Educa&ccedil;&atilde;o</h1>

<p>A Pol&iacute;cia Civil do Rio prendeu neste s&aacute;bado (16) Sergio Arag&atilde;o Filho, de quarenta e sete anos, acusado de dar cursos e diplomas falsos de mestrado em Duque de Caxias, pela Baixada Fluminense. 500. Arag&atilde;o ser&aacute; indiciado por estelionato e falsifica&ccedil;&atilde;o de documentos. No momento da pris&atilde;o, na manh&atilde; nesse s&aacute;bado, cerca de 30 estudantes participavam das aulas.</p>

<p>De acordo com as investiga&ccedil;&otilde;es Projetos/Eventos Multiesportivos/Arquivo 2 de Crimes Contra o Comprador (Decon), o acusado fundou o Instituto &Ocirc;mega, onde eram ofertados os cursos de mestrado. As aulas integrariam um programa federal de ensino &agrave; dist&acirc;ncia da Institui&ccedil;&atilde;o Aberta do Brasil (UAB). Os estudantes s&oacute; descobriam a fraude quando tentavam validar os diplomas, que recebiam chancelas falsas de universidades p&uacute;blicas. Nove 1000. Como Montar Um Programa De Estudo Capaz Em Matem&aacute;tica Para Concursos foi descoberta depois de mais de duzentos alunos terem passado pelo curso, de acordo com a Pol&iacute;cia Civil.</p>

<p>Em mestrado na PUC-Rio, vem estudando como a selvajaria afeta a conex&atilde;o de adolescentes dali com outros espa&ccedil;os da cidade. Monica e Marielle se conheceram no momento em que tinham dezoito e vinte e quatro anos, respectivamente, numa viagem de Carnaval com um grupo de amigos para a Praia de Jacon&eacute;, em Saquarema (RJ). Durante os primeiros sete meses, n&atilde;o contaram para ningu&eacute;m sobre o namoro.</p>

<p style="clear:both;text-align: center &lt;b&gt;&lt;q&gt;N&atilde;o teve a resposta que queria ouvir.&lt;/q&gt;&lt;/b&gt;&lt;/p&gt;&lt;p&gt;E j&aacute; estavam juntas havia 2 anos quando assumiram de vez a liga&ccedil;&atilde;o. A press&atilde;o em torno, junto a problemas financeiras, acabou colocando o relacionamento em xeque. Monica teve relacionamentos com outros homens e algumas mulheres; Marielle, com outros homens. A reaproxima&ccedil;&atilde;o definitiva veio no momento em que Marielle estava pensando em se candidatar pra C&acirc;mara dos Vereadores e quis saber a avalia&ccedil;&atilde;o de Monica. N&atilde;o teve a resposta que queria ouvir. MEC Garante Gratuidade De Cursos De Gradua&ccedil;&atilde;o E P&oacute;s-gradua&ccedil;&atilde;o falou ter certeza de que ela faria um servi&ccedil;o " belíssimo"="" e="" que="" teria="" teu="" voto.="" porém,="" de="" uma="" possibilidade="" pessoal,="" não="" queria="" ela="" se="" candidatasse.="" marielle,="" no="" entanto,="" agora="" estava="" decidida="" -="" a="" parceira="" deu="" suporte.<="">
</p>
<p>As duas estavam em relacionamentos firmes, contudo reataram insuficiente antes de a campanha come&ccedil;ar. A conex&atilde;o, neste momento, era mais madura, entre duas mulheres e n&atilde;o mais crian&ccedil;as, diz Monica - ainda alternando o presente e o passado pra falar da companheira. Monica diz que s&oacute; uma coisa mudou em Marielle ao se eleger: &quot;Ela me convenceu a deix&aacute;-la comprar mais roupas&quot;, ri. Passei Num Concurso Dos Sonhos Estudando Sozinho -roupa era &quot;um carnaval&quot; de estampas e cores vibrantes. As unhas estavam sempre pintadas cada uma de uma cor.</p>
<ol>

<li>Sete Artistas pl&aacute;sticos</li>

<li>Siga teu ritmo</li>

<li>Curr&iacute;culo Lattes</li>

<li>Quinto passo</li>

<li>tr&ecirc;s Absor&ccedil;&atilde;o das funda&ccedil;&otilde;es associadas &agrave; UEMG (2013 e 2014)</li>

<li>Odiar o trabalho</li>

<li>O primeiro credenciamento das faculdades tem prazo de, no m&aacute;ximo, tr&ecirc;s anos</li>

</ol>

<p>E era Monica quem separava tuas roupas de manh&atilde;. Dentro de resid&ecirc;ncia, Marielle era muito diferente da &quot;leoa com armadura&quot; que o mundo conheceu, diz Monica. Monica n&atilde;o tem quest&otilde;es de que o assassinato de tua mulher - &quot;muit&iacute;ssimo bem executado, de modo fria, no meio de uma rodovia p&uacute;blica&quot; - foi um crime pol&iacute;tico.</p>

<p>Os focos delicados com que a vereadora lidava refor&ccedil;am a convic&ccedil;&atilde;o. Marielle denunciava hostilidade policial e viola&ccedil;&atilde;o de direitos humanos em favelas do Rio. Falava abertamente, por&eacute;m n&atilde;o sofrera amea&ccedil;as nem sequer temiam repres&aacute;lias. Pra Monica, o assassinato foi um crime &quot;contra a democracia&quot; e diz que mais relevante do que achar quem matou &eacute; localizar quem ordenou matar. Marielle fazia considera&ccedil;&otilde;es veementes &agrave; interven&ccedil;&atilde;o federal anunciada pelo presidente Michel Temer no dia dezesseis de fevereiro. Havia sido nomeada relatora de uma comiss&atilde;o criada na C&acirc;mara dos Vereadores pra monitorar as a&ccedil;&otilde;es do gabinete coordenado pelo interventor, o general Braga Netto.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License